Imagem capa - Valorize a sua família por Anelise Piccini

Valorize a sua família


Valorize a sua família, porque nas horas mais difíceis 

é sua mãe que vai segurar a tua mão!


A minha história tem acento, tem a minha voz, meu ritmo, meu fluxo e meus vícios linguísticos, desculpa português, não é falta de respeito com o senhor, me criei assim e alguns costumes são difíceis de corrigir.


Eu cheguei a pensar que estava muito emocionalmente envolvida pra contar essa história, mas se a vida a colocou no meu caminho é porque faz parte da minha missão.


A Wanessa é decoradora, daquelas mulheres que sabe fazer de tudo um pouco e deixa qualquer lugar lindo, ela sabe fazer todas aquelas coisas que não pertencem ao meu mundo, todas aquelas delicadezas e mimos, artesanatos e arranjos...


No começo da pandemia, lá em março ainda, quando tava começando o isolamento aqui em Passo Fundo/RS junto com as incertezas, remarcações de data e cancelamentos que ocorreram pra todos do nosso ramo de eventos, pra Wanessa chegou também o diagnóstico de câncer de mama.

Ela não teve tempo de sentar pra chorar, não se deu o trabalho de se vitimizar, a Wanessa não é só uma decoradora, é muito mais.

Ela é mulher! É mãe! É filha! É brasileira! É, naturalmente, empreendedora!


Ali começou uma jornada, e assim que tudo fechou e a cidade espiava com medo através dos vidros da janela dentro de casa surgia um novo negócio: as “Pizzas da Wanessa”. 


Com o dinheiro que tinha comprou os ingredientes e mandou no grupo um bloco de notas divulgando e ainda por cima com uns errinhos de digitação... Aí eu não tinha como não me envolver... Ali eu tinha como ajudar... Como é bom quando a gente pode ser útil..

Já tinha achado de um ímpeto poderoso e respeitável a atitude dela de ter feito alguma coisa num momento tão difícil e ainda tão rápido, então criamos os nossos primeiros cardápios para divulgação.



Eu não sigo ou frequento a nenhuma religião específica, mas me considero uma mulher de fé, construí minhas crenças e meus valores e acredito de todo meu coração, como minha religião pessoal, que, toda e qualquer vez que você tiver oportunidade de ajudar uma pessoa e tiver como fazer isso você deve, porque da mesma forma, toda vez que tu realmente precisar alguém vai aparecer para te estender a mão. Comigo foi assim a vida toda, sempre que eu precisei surgiu uma alma randômica e aleatória de algum lugar inesperado pra me ajudar.


O próximo capítulo dessa história se deu no dia das mães, data simbólica, neste dia fui convidada a fotografar a Wanessa e sua filha. 



Cheguei lá e entendi que era algo maior e muito mais bonito. Toda a família dela estava reunida para uma grande foto, para que ela se sentisse amada, para que soubesse que não estava sozinha!


Não era só mais um dia das mães, no dia seguinte, na segunda feira ela iria colocar o cateter para já na terça começar a quimioterapia.

Ela já tinha cortado parte do cabelo, pra sua filha ir se acostumando...


O solzinho da tarde, os cachorros latindo, as crianças correndo e muitas risadas gostosas marcaram aquele dia. Foi lindo!




...


As pizzas bombando e uma das coisas mais legais foi o cartão de agradecimento que ela fez, em cada entrega ela coloca um cartão de gratidão com o nome da família que encomendou e assina pessoalmente, vi muitos posts de pessoas felizes e surpreendidas com o carinho.. e é mesmo lindo gente.. olha que mimo... (empreendedora e super humana, carinhosa)


   




Um dia histórico!



Eu não tô fazendo isso por divulgação, até porque quem me acompanha sabe que já faz quase um ano que eu não posto nada, quando muito stories fechados pro meu seleto grupo de melhores amigos que são pessoas com grandessíssimas chances de ficar sabendo o que eu ando fazendo sem precisar de um post pra isso...

 

Eu tô aqui contando essas historias entrelaçadas, a minha e a dela, porque em tempos de pandêmicos, fechada dentro de casa e dentro de mim mesma, assim como as borboletas, eu acredito em transformação, por isso as tatuo no meu corpo...

Acredito que todos nós vivemos uma eterna mutação, um constante movimento e neste momento tomei ímpeto de me reapossar das minhas próprias redes sociais, de ressignificar, remodelar e transformar o meu trabalho e a minhas mídias em algo mais meu.

Venho contar essas histórias porque fui convencida que haveriam pessoas que poderiam se identificar, que poderiam se sentir menos sozinhas.  Que sim, existem no mundo pessoas que acreditam na mesma coisa que eu, que pensam e se sentem da mesma forma que eu, que enfrentam os mesmo problemas, que dividem as mesmas crenças e soluções e que em muitos momentos assim como eu, se sentem sozinhas mesmo no meio de uma multidão.




A fotografia por causa!

Não estou atendendo clientes e fotografando como habitual porque acredito que isso é o correto a fazer neste momento... e que fique muito claro aqui que entendo e respeito profundamente todas as pessoas que pensam diferente ou que mesmo pensando igual não tem a oportunidade de fazer esta escolha e precisam seguir trabalhando fora todos os dias.


Eu escolhi neste momento a fotografia por causa, pelas causas que me tocam o coração.

Me apaixonei pela fotografia anos atrás porque eu quero trabalhar com a felicidade das pessoas!

Eu quero registrar o amor, a vida e os seus ciclos, os pequenos e grandes momentos que não podem perder o brilho nas gavetinhas da memória.


A missão não foi só minha, eu contei com a ajuda de mulheres incríveis que aceitaram e abraçaram esta ideia com muito carinho, que deram muito mais que seu trabalho, seu tempo, elas deram força e vida para uma ação, para uma festa, eu posso dizer, a festa de despedia do cabelo da Wanessa!



Num sábado à noite ela me marcou numa publicação que não me deixou dormir, eu precisava fazer alguma coisa, eram fotos de uma família raspando o cabelo de uma mulher na beira de uma praia e ela se vendo pela primeira vez.

Só esperei o raiar do meio dia de domingo e já chamei a Tami, (a Tami é a Tamires Imai Makeup que transforma mulheres em deusas com seus pincéis) que aceitou com tanto carinho a empreitada e aqueceu meu coração.


Fui falar com a Wanessa pensando inocentemente que algo assim ocorreria nos próximos meses, mas o cabelo dela já caía aos maços, não se podia esperar mais... tava na hora



Não teríamos outro dia, por recomendação médica o cabelo todo deveria ser cortado o mais rápido possível, na terça era a quimio... 

na quarta o dia da semana que melhor ela se sente ... pois na quarta seria

Nós não tínhamos uma praia maravilinda, não poderíamos reunir a família neste abraço, a previsão era para o dia mais frio do ano até agora aqui no RS.
Mas como tudo que é feito com amor e bom humor, e bom humor não tá faltando pra Wanessa encarrar esse desafio, transformamos em uma festa!



A festa de despedia dos cabelos..


Foi aí que entrou outra mulher engajada na causa. A Mara da Donna Noivas e festas e seus vestidos maravilhosos, ela nos recebeu, assim como a Tamires, com todos os cuidados de higiene, com o seu espaço fechado somente para nos atender, entre máscaras e risadas a Wanessa modelou mais uma vez...
Mais uma vez? Simmmm meus amores, lá no final dos áureos anos 90 a Wanessa era model, desfilava em várias passarelas, foi Musa do Turismo e carregava diversas faixas de princesa e rainha.. (Lembra aquela parte que eu falava de um mundo que não me pertencia? Ela era a “prima bonita” kkk)

E assim, entre vestidos e sorrisos, a quase quarentona (espero que ela não me mate por divulgar essa informação, kkkk) mas ainda linda posou para uma mini sessão de retratos.







         

Saindo dali a tarefa não tinha acabado ainda, ainda precisávamos cortar o cabelo, quem fez isso foi a Debora Vassoler, madrinha de casamento da Wanessa e do Viny.


Valorize a tua família, porque nas horas mais difíceis vai ser a tua mãe que vai segurar na tua mão.











Acompanhando a Wanessa nesse momento estavam a mãe, Elizete Paim e a prima, vizinha, confidente, parceira e bff Ana Paula Grisolfi.



Na minha família aprendemos desde pequenininhos o valor inestimável da união, da fé, da oração, em forma de almoços de domingo, churrascos e maionese, festas de aniversário que cada um leva um pratinho e todo mundo ri junto. Com todos os filhos e netos ao redor da mesa comendo, mas antes, sempre mãos dadas em oração.


Aprendemos que amor se manifesta em forma de festa! De músicas e de dança! Ouvíamos a vó Maria sempre cantar e dançar com a gente o beijinho doce, o padre Zezinho, a jardineira! Fomos embaladas no colo ouvindo mãezinha do céu...

E por isso essa história não acaba com uma bela foto dourada ao por do sol, daquelas bem lindas e clichê que nos remetem a propaganda de margarina... Porque essa história não acaba aqui... este foi só um capítulo.. temos pela frente alguns meses de tratamento e vamos ter muitas coisas mais para contar. Deixa que a vida ande ao seu tempo... e que as coisas vão acontecendo... ela ficou linda careca e pode ter certeza que ainda vem muita foto por aí! Temos fé e temos a dádiva do tempo! Estamos celebrando a vida e seus pequenos grandes momentos...




*A pessoa sem máscara ao lado dela no corte de cabelo é mãe, que devido a emoção do momento ficou alguns minutos sem o epi. Elas moram na mesma casa.


Fotografia Anelise Piccini

Maquiagem Tamires Imai

Vestido Donna Noivas e festas

Cabelo Débora Vassoler


https://www.anelisepiccini.com.br/album.php?id=657464